Maternidade e Carreira

Por Fabiana Schneider

Maio é um mês que celebramos uma data especial, homenageando uma das pessoas mais importantes de nossa vida: nossa mãe.

A maternidade é um sonho de muitas mulheres, entretanto, pelo fato de desejarem ascender na vida profissional, algumas delas adiam esse plano.

Apesar dos direitos conquistados pelas mulheres no mercado de trabalho, será que a maternidade ainda é considerada um obstáculo para a carreira?

Segundo levantamento da OIT (Organização Internacional do Trabalho), apenas 58% dos 185 países pesquisados em 2014 tinham licença maternidade remunerada. Além dos problemas que as mulheres enfrentam para manter o emprego após o nascimento dos filhos, elas também precisam lidar com o estigma de incapacidade durante a gravidez.

Entretanto, este mindset está bem equivocado! Uma pesquisa realizada pela Microsoftcom 2 mil funcionárias e 500 empregadores nos Estados Unidos descobriu que muitas mulheres melhoram o desempenho profissional após a chegada dos filhos. Entre as principais mudanças, as mulheres afirmaram estar mais capacitadas para executar várias tarefas simultaneamente, estão gerenciando melhor seu tempo e aumentaram as relações cordiais com outros colegas de trabalho.

Os empregadores ouvidos pelos pesquisadores concordaram: mais da metade deles (57%) afirmaram que mulheres com filhos trabalham melhor em equipe do que as que ainda não são mães.

Empresas se adequando às demandas

Atentas a esse comportamento, grandes e pioneiras empresas como Natura, Boehringer Ingelheim, Avon, P&G, Whirlpool, Pfizer se adaptaram à rotina da maternidade e desenvolveram políticas específicas para as funcionárias com filhos pequenos. Entre as medidas adotadas, estão a inclusão de berçários, sala de amamentação, espaços pedagógicos e até auxílio-creche.

Anualmente, a revista Working Mother lista as 100 melhores empresas para as mães executivas trabalharem nos Estados Unidos. Em 2017, entre os benefícios, as organizações oferecem uma média de 10 semanas de licença-maternidade remunerada, além de programas de assistência infantil.

Mães independentes

Seja por falta de oportunidades igualitárias ou até pela escolha de algumas mulheres em acompanhar mais de perto o desenvolvimento dos filhos nos primeiros anos de vida, a maternidade pode influenciar fortemente alguns momentos da Carreira da Mulher.

Para isso, uma alternativa ao trabalho home-office são os coworkings criados exclusivamente para essas mães levarem suas crianças. Um dos primeiros do mundo foi o Piano C, em Milão, na Itália. Inaugurado em janeiro de 2013, o lugar tem estrutura para receber mães com crianças de 0 a 3 anos e foi premiado pelo Banco Europeu de Investimentos como o melhor Projeto de Inovação social da Europa.

Aqui no Brasil, a Casa de Viver (São Paulo), o Mamaworking (Curitiba) e a Casa Gestar(Florianópolis) são algumas das iniciativas que ajudam essas mães a terem um espaço alternativo para executarem seus projetos ao lado dos pequenos.

A maternidade traz uma série de mudanças na vida da mulher e é fato que pode refletir na carreira de uma forma positiva. É cada vez mais essencial que as próprias mulheres em parceria com as empresas entendam isso e discutam juntas para promover melhores práticas corporativas e empreendedoras constantemente.


Fonte: <https://www.linkedin.com/pulse/maternidade-e-carreira-fabiana-milanez-schneider/> 11/05/2018, 11:40

Escrito por Fabiana Schneider, Consultora de Carreira e Headhunter, tenho mais de 20 anos de experiência profissional em empresas nacional e multinacional onde atuei em áreas de Recrutamento e Seleção, Treinamento e Desenvolvimento, Comercial e Educação Executiva. Nos últimos anos tenho me dedicado à área de Gestão de Carreira e Desenvolvimento Humano empreendendo através da Trilhas da Carreira, além de ser especialista em LinkedIn e dar aulas de R&S em pós-graduação. Sou graduada em Administração de Empresas com MBA Executivo em Marketing, certificada em Assessment Training DISC e em Orientação Profissional e Planejamento de Carreira. Filha de Pai TI e Mãe Professora, casada com Claudio Cercachim, mãe da Nathalia, maratonista, apaixonada por pessoas e entusiasta pela tecnologia.

Posted in Artigos, Comitê de Desenvolvimento Humano e Organizacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *